terça-feira, março 28, 2006


Sorriso largo, estampado no rosto, elas aí vêm. Ouvidos tapados do voo curto. Têm os sentidos preenchidos de cor, de arte, de luz. Guardam as imagens na memória. Os músculos doridos. Sonhos de encontros e desencontros tecidos na Cité. Pela retina, batendo no cerebro, os oleos de Matisse, Van Gogh, Manet,Picasso...Guardam o sabor intenso do fondue, do chocolate. Retem odor do gel de banho de cheiro estranho.
Chegaram para contar , com brilho nos olhos e sorriso aberto, tornando-se Meninas no reencontro com a descoberta.

5 comentários:

Anónimo disse...

Que belo texto, cheio de poesia!
Inspirado em Paris? Ah! Essa cidade que nos faz sonhar... («nos», a quem foi marcado pela cultura francesa...)
Paris ainda é o que habita os nossos sonhos?
Iemanjá

Anónimo disse...

ainda...esta foi para duas serigaitas que se andaram a espanejar em Paris...eheheh

borboleta disse...

Caramba, Maria, tiro-te o chapéu pelo teu estilo, pela tua sensibilidade e pela tua DELICADEZA de pessoa.
Muito obrigada!
Quando eu souber mexer nos acessórios necessários, blogo uma foto, vale?
Serigaita 1

Anónimo disse...

Com estas palavras fico muda
Será que estou perante um talento desperdiçado?
Para a próxima não ficarás em terra .

Anónimo disse...

pois, pois, qual Margarida Pinto Rebelo ou a Avó da Lady Di...shhhhhhhhhhh
Maria