terça-feira, novembro 21, 2006

Os acrobatas

Subamos!
Subamos acima
Subamos além, subamos
Acima do além, subamos!
Com a posse física dos braços
Inelutavelmente galgaremos
O grande mar de estrelas
Através de milênios de luz.

Subamos!
Como dois atletas
O rosto petrificado
No pálido sorriso do esforço
Subamos acima
Com a posse física dos braços
E os músculos desmesurados
Na calma convulsa da ascensão.

Oh, acima
Mais longe que tudo
Além, mais longe que acima do além!
Como dois acrobatas
Subamos, lentíssimos
Lá onde o infinito
De tão infinito
Nem mais nome tem
Subamos!

Tensos
Pela corda luminosa
Que pende invisível
E cujos nós são astros
Queimando nas mãos
Subamos à tona
Do grande mar de estrelas
Onde dorme a noite

Subamos!
Tu e eu, herméticos
As nádegas duras
A carótida nodosa
Na fibra do pescoço
Os pés agudos em ponta.

Como no espasmo.

E quando
Lá, acima
Além, mais longe que acima do além
Adiante do véu de Betelgeuse
Depois do país de Altair
Sobre o cérebro de Deus

Num último impulso
Libertados do espírito
Despojados da carne
Nós nos possuiremos.

E morreremos
Morreremos alto, imensamente
IMENSAMENTE ALTO.

Vinicius de Moraes
in "Poemas, sonetos e baladas"
in "Antologia Poética"
in "Poesia completa e prosa: "O encontro do cotidiano"

7 comentários:

borboleta disse...

Que tal o filme, Inês?

ines disse...

Compramos o documentário e vamos passá-lo numa próxima reunião de deusas. O homem era um sedutor....com uma enorme capacidade para amar, no entanto, precisava da paixão para despertar a sua criatividade, motivo pelo qual casou, diversas vezes....será que ninguém lhe disse que não era preciso?

maria disse...

Um predador! Passando os limites, voando para os excessos, entrando no lado mais escuro do ser humano em busca da criatividade. Caíu pelo precípicio.
perdido, consumindo seres humanos, sacando-hes a energia através da paixão. Alccoolizando-se até à destruição. Um predador.Egocentrico.Por tanta gula saciada em excesso vomitava poemas lindíssimos que enchem e preenchem o coração das mulheres que não foram devoradas por ele.
Capacidade de Amar? Nula.
( lá se vai o "herói.....).Ehehehehe

Anónimo disse...

Ah Maria! Que lucidez!
E , afinal, também nós somos canibais: alimentamo-nos da beleza nascida em tal ninho...
Mas ,como o próprio Vinicius dizia, «beleza é fundamental».
Gozemo-la. O criador existe na Obra. Apenas isso...
Iemanjá

ines disse...

Oh Maria, onde foste buscar tanta amargura? onde está tanta escuridão? Realmente o nosso olhar depende das lentes que usamos....as minhas continuam cor-de-rosa, que bom! Acho o homem brilhante de uma simplicidade e generosidade tocantes. Quanto à sua capacidade de amar, segundo as minhas lentes, o seu unico defeito foi amar demais, sempre eternamente e apaixonadamente enquanto durou....

maria disse...

Tirando a "provocaçãozita", gostei imenso do documentário.
Faço uma distinção entre o Poeta, que adoro e conheço desde os 18 anitos ( coimbra, lembram-se?) e o Homem que vi no filme.
O poeta deslumbra-me. O homem ,não.
Não consigo visualizar outro ser a não ser o que já comentei.
Será das lentes terem perdido o rosa? não sei. Mas, sei, que esses seres podem fazer sofrer imensamente quem os AMA.
Porque diria Vinicius, tremendamente alcoolizado,sobre as mulheres que teve : " aquelas p...do c... não me querem ver".
Será que as nove mulheres e as filhas se sentirem generosamente amadas?

Anónimo disse...

Um grande Poeta sim senhor.
Pena que bebia tanto e precisava de paixões sucessivas para que a sua inspiração fluisse.
Acho que não precisava...estava tudo dentro dele ...mas ele não acreditava.
Ser amada por ele devia ter sido sublime...mesmo que a queda depois fosse terrifica...sei bem o que isso é.
Bom , pelo menos ficou inesquecivel para as suas amadas...pelas coisas boas e más e deixou-nos canções e poemas que dão que pensar.
Papoila